Skip navigation

Tag Archives: Limites

 

“Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta”  Albert Einstein

 

Nada de especial, em ouvir lamentos perante uma ou outra adversidade…

Nada de especial, na vitimização  que surge após uma quantidade significativa de infortúnios…

Nada de especial, na queixa e auto comiseração…

Desde que… devidamente sensatas e equilibradas!

O ser humano, queixa-se, lamenta-se, insurge-se contra a injustiça, revolta-se, chora, grita, duvida, etc… Mas tem também, a fantástica capacidade de se erguer, de agarrar a vida com fulgor, de renascer das cinzas, todas as vezes que forem necessárias!

Ou…

Será esse, um estado de alma, presente em apenas alguns afortunados? Existirá essa competência, dentro de alguns em detrimento de outros, fracos e desprovidos de atitude e coragem, que apenas tremem as pernas, ao invés de caminhar seguros em frente, porque não se pode permanecer no mesmo lugar?! 

Somos feitos de diferentes matérias, mas temos todos ao nosso alcance, as ferramentas e recursos necessários á mudança! Esta, far-se-á por impulso ou gradualmente, dependendo das circunstâncias, motivação, decisão e/ou coragem, mas… é imperativa!

Se assim não acontecer, a pessoa será vitima… dela própria!

“A vida contrai-se e expande-se proporcionalmente à coragem do indivíduo”   Anais Nin

boca do inferno

 

tem boca!  E existe! Aqui na terra! É o limite…

A carta

 

“Chega sempre a hora em que não basta apenas protestar: após a filosofia, a acção é indispensável ” – Victor Hugo

 

duvida 

 

Isto  é ou não é discriminação flagrante e abusiva?

“A exclusão é sempre por comportamento de risco, nunca por grupo de risco…” 

 Hum… Será mesmo? É que depois de ler tudo, tive  dúvidas se o senhor não estará  baralho…

Novo Apresentação do Microsoft Office PowerPointII

 

Recentemente, vi uma reportagem numa televisão nacional, a propósito de um “estudo”para verificar a necessidade de se criarem centros de cuidados paliativos para crianças. Os entrevistados, (especialistas de pediatria em várias valências) uniram vozes para deixar claro, que assim como nos adultos, há crianças com doenças raras, genéticas e/ou degenerativas, que merecem e devem receber cuidados suplementares, prestados por equipas multi-disciplinares, que lhes faculte alguma qualidade de vida e o controlo da dor, (porque muitos deles têm dor agonizante) enquanto lutam pela vida…

Até que, a/o jornalista afirma que o director clínico do Hospital Pediátrico de Coimbra (cujos funcionários, na sua maioria, merecem todo o meu respeito) se escusou de dar entrevista, não deixando porém, de dizer o seguinte;” Não vejo necessidade de cuidados paliativos para crianças, pois estas, ou curam-se ou morrem”.

Ora eu, que fiquei estarrecida a olhar para a televisão, acho que depois disto, afirmado por alguém que gere um hospital pediátrico, cujo interesse maior deve ser o empenho e esmero nos cuidados e tratamentos prestados aos utentes, fico confusa… Não sei me apetece despoletar a minha melhor(pior) faceta de psicopata, se me apetece fugir… Mixed feelings…

Aparentemente, para este senhor, se a criança não se cura nem morre, deve ser ignorada… azar o dela… Nada de meio-termo! Nada de desempenhar o nosso papel de cidadãos e/ou governo e utilizar o dinheiro que pagamos de impostos da melhor forma! Nada disso! Deve ser sujeita á nossa (deles, dos que pensam de igual forma) indiferença e aguardar pacientemente, pois claro, que a morte a acerque, depois de ter sofrido, física e psicologicamente durante todo o penoso processo!

Se acreditasse  num Deus todo-poderoso, diria: Ele castiga! E castigar-te-á cá na terra!

Não é uma previsão, é um desejo!

 

 

 

untitled

 

Sempre me fez confusão, porque raio a noite e o dia me fazem ter ideias tão opostas e contraditórias!

Se à noite julgo que farei isto e aquilo, na manhã seguinte tudo se desvanece dando lugar aos habituais mixed feelings, e por consequência, o que decidi passa de um estado coerente e sóbrio para alarmista e radical!

Hoje de manhã, lamento que alguns organismos públicos encerrem durante a noite!

insc3b3nia

 

 

Não quero um “amor” obsessivo! Prefiro que não me “amem”…